• A Tribuna Do Cariri

Artistas paraibanos repudiam Antônia Fontenelle por fala xenofóbica ao criticar DJ Ivis



Artistas paraibanos repudiaram as declarações divulgadas por Antônia Fontenelle, após a atriz se posicionar contra o DJ Ivis, que teve vídeos expostos agredindo a ex-mulher. Fontenelle usou os termos “paraíbas” e “paraibada”, na publicação para se posicionar sobre o assunto.

“Esses ‘paraíbas’ fazem um pouquinho de sucesso e acham que pode tudo. Amanhã vou contatar as autoridades do Ceará para entender porque esse cretino não foi preso”, declarou Fontenelle em uma publicação sobre o Dj Ivis.

Nas declarações divulgadas em uma rede social, a fala da influenciadora foi apontada como xenofóbica. Os artistas e influenciadores da Paraíba, manifestaram opiniões e repudiaram os termos utilizados.

Juliette Freire, campeã do BBB 21, além de Flay, da edição de 2020 do mesmo programa, e influenciadores como Gessica Kayane (Gkay), fizeram comentários sobre a fala de Fontenelle, que até tentou justificar a atitude em uma nova publicação. Ela afirmou que já estava esperando represálias, e que as acusações contra ela não passavam de uma tentativa de abafar a violência, em detrimento de sua fala.

“Esse bando de desocupado aí da máfia digital que não tem nada o que fazer. Se juntaram pra agora me acusar de xenofobia. De novo? Num cola! Já tentaram me acusar de xenofobia. (…) Porque eu falei esses paraíba (sic), quando começam a ganhar um pouquinho de dinheiro acham que podem tudo. Paraíba eu me refiro a quem faz paraibada, pode ser ele sulista, pode ser ele nordestino, pode ser ele o que for. Se fizer paraibada, é uma força de expressão”, afirmou.

A paraibana Juliette Freire afirmou em uma rede social que não se trata de força de expressão, é xenofobia.

Outra artista paraibana que também se posicionou foi a BBB 20, Flay. Ela comentou que a fala da youtuber foi reducionista ao atribuir a violência a ‘ser Paraíba’ e lembrou de como foi inferiorizada por ser paraibana, nordestina, preta, pobre e humilde.

Quem também se manifestou foi a digital influencer paraibana Gessika Kayane (Gkay). Ela afirmou que essas expressões xenofóbicas precisam ser banidas e são obsoletas, ultrapassadas e ofensivas.

O ator paraibano Thardelly Lima também se posicionou nas redes sociais: “De onde foi que ela tirou que uma pessoa que comete qualquer burrice, estabanada, crime, ou qualquer coisa, tem o direito de ser chamada de paraibanada?, questionou.

Além dos artistas, a página Nordestinos também divulgou o vídeo de Fontenelle e questionou sobre a origem do termo. “Eu sinceramente quero entender de onde surgiu esse termo de paraibada. Aqui na Paraíba ninguém utiliza”, afirmou.

g1

0 comentário

BLOG