• A Tribuna Do Cariri

Em nota, Bispo de Caruaru orienta católicos a votarem contra o Comunismo


O Bispo da Diocese de Caruaru, dom José Ruy Gonçalves Lopes, emitiu uma nota orientando os fiéis da sua diocese a votarem a favor da Democracia e contra o Comunismo.

A orientação é fundamentada na Doutrina Social da Igreja. Apesar disso, a Igreja Católica não tem vínculo com nenhum partido, apenas buscando orientar os fiéis nos valores políticos que são mais próximos da sua doutrina.


“2) A Igreja Católica possui grande simpatia pela Democracia e grande aversão ao comunismo,  diz a sua doutrina (DSI, 160). Por isso o voto consciente é a melhor forma não apenas de reivindicar, mas dedeterminar o futuro da sociedade”, diz a nota de dom José.


Dom José assumiu a Diocese de Caruaru em setembro de 2019 e desenvolve um espiscopado mais orientado para a espiritualidade. Em 2014, dom José se manifestou contra a implementação da ideologia de gênero pelo governo Dilma, sem citá-la nominalmente.


Veja a nota na íntegra:


Fundamentados na Doutrina Social da Igreja, apresentamos algumas orientações normativas desta Igreja Particular a respeito do pleito eleitoral.


1) Embora “não tenhamos aqui cidade permanente, mas vamos em busca da futura” (Hb 13,14); e ainda, “A pátria do cristão é o céu”, como diziam os antigos Padres da Igreja, somos cidadãos brasileiros e vivemos nos municípios, onde recebemos os bens de Deus e padecemos, muitas vezes, das mazelas da má administração e da corrupção. Por isso, enquanto cidadãos e construtores do bem comum, da Civilização do Amor que se alicerça sobre a justiça e a paz, não podemos nos omitir na escolha dos candidatos ao Executivo e ao Legislativo.


2) A Igreja Católica possui grande simpatia pela Democracia e grande aversão ao comunismo,  diz a sua doutrina (DSI, 160). Por isso o voto consciente é a melhor forma não apenas de reivindicar, mas dedeterminar o futuro da sociedade.


3) A Igreja Católica não possui partidos políticos, proíbe aos seus Clérigos a filiação partidária (Código de Direito Canônico, 278,3 e 287,2) e não apoia candidatos. Incentiva, porém, os leigos a assumirem o seu protagonismo social. Configurados ao ministério de Cristo, devemos trabalhar pela unidade do povo de Deus e não ser causa de divisão. Somos de Cristo e Cristo é de Deus (1 Cor 3, 22-23);


4) Fotografias de candidatos em festas de padroeiros, do Papa, com os Bispos, padres ou diáconos não representam absolutamente que possuem o apoio da Igreja Católica;


5) Deste modo, campanhas políticas dentro de espaços físicos da Igreja são expressamente vetadas. Tanto o bom senso cristão como a lei civil, que considera crime a propaganda política no interior dos templos, ou abuso de poder religioso, exigem a nossa imparcialidade;


6) O que está claro na Doutrina Social da Igreja e assim ela orienta os seus fiéis nas eleições é:


a) Compromisso com a vida, desde a sua concepção até sua consumação na morte natural. Um cristão não pode ser favorável ao aborto e à eutanásia, mas sempre a favor da vida;


b) Compromisso com a família e com o combate à violência doméstica, à exploração sexual, à prostituição e ao abuso de menores;


c) Compromisso com a superação da pobreza;


d) Compromisso com a defesa do meio ambiente (destino correto do lixo e sua reciclagem, saneamento básico, cuidado com os mananciais e a preservação da cobertura vegetal) e o sadio lazer;


e) Compromisso com o Bom Comum. Por isso, um Sistema Único de Saúde (SUS) bem apoiado,especialmente nesse tempo com as urgências de combate à pandemia.

Estas orientações sejam publicadas em todas as redes de comunicação das paróquias de nossa Diocese de Caruaru. Nossa Senhora das Dores e o Mártir São Tomás More, patrono dos políticos, intercedam a Deus por nosso povo. 


Caruaru, 26 de setembro de 2020.


Dom José Ruy G. Lopes, OFM Cap

Bispo Diocesano.



0 comentário

BLOG