• A Tribuna Do Cariri

Suspeito de matar vereadora da cidade de Prata se apresenta à polícia e é preso em Monteiro



Manoel Ângelo, suspeito de assassinar a ex-esposa, a vereadora no município de Prata, Elinete da Silva Sousa Ângelo, conhecida por Tina de Manoel de Angelo, de 43 anos, se apresentou à polícia nesta segunda-feira (18) no município de Monteiro, onde aconteceu o crime. O feminicídio aconteceu no dia 3 de abril.


Manoel Ângelo tinha um mandado de prisão em aberto e estava foragido. Por conta do mandando, segue preso e deve ser ouvido pelas autoridades. Em seguida, vai ser transferido para cadeia pública de Monteiro.


A vereadora já estava sendo perseguida pelo ex-marido quando o crime aconteceu, segundo informações da Polícia Civil.


De acordo com a delegada do caso, Renata Patu, a vítima estava separada do suspeito há mais de 40 dias e, por causa disso, estava morando na casa dos pais. Nesse tempo de separação, ele estaria vendendo os bens que conquistou com a ex-esposa para que nem ela e nem a filha tivessem acesso aos objetos.


Familiares contaram para a polícia que, após a separação, o suspeito estaria perseguindo a vereadora e que ele já tinha procurado por ela em um evento que aconteceu no dia 2 de abril, em Monteiro , para matá-la. Mas, como ele não encontrou a vítima, ele voltou a procurá-la em um evento que aconteceu em um campo de futebol no domingo, 3 de abril.


Ele esperou o momento da entrega das taças, no jogo de futebol, quando todos se afastaram, e atirou três vezes contra Tina. Os tiros atingiram a perna, a cabeça e o peito da mulher.


“Provavelmente ele iria matar ela no sábado, mas não a encontrou. No domingo, ele foi pronto para matar ela, ele já foi armado para o campo”, ressaltou a delegada.


A delegada informou que no momento dos disparos, um homem que estava perto do local ainda foi ameaçado pelo ex-marido de Tina. “Ele teria dito que se o rapaz não se afastasse do local, também iria morrer”, informou a delegada.


De acordo com a delegada, o suspeito não tem nenhuma denúncia de violência doméstica no nome dele, mas pessoas que moram perto do homem informaram que ele tem histórico de violência contra o irmão, a briga seria por causa de herança.


Após os disparos, o suspeito saiu do campo de futebol e teria tentado espalhar o rumor de que teria tirado a própria vida, nas redes sociais, na intenção de ganhar tempo para fugir. A polícia descobriu que o homem está vivo, mas ainda não foi localizado.


A Tribuna do Cariri

Com G1 PB

0 comentário

BLOG