• A Tribuna Do Cariri

Terceira via: Moro se filiará ao Podemos dia 10 de novembro e deve disputar a presidência


Se para alguns ele já atuava “politicamente” como juiz, com a filiação ao Podemos, o magistrado toma uma decisão concreta para, de fato, agir dentro dos muros da política, da política partidária, e deve começar concorrendo ao cargo de presidente da República.


Mas, vale lembrar, sua entrada e admissão ao “meio político” foi antes, quando assumiu o ministério da Justiça do governo Bolsonaro. À época, foi questionado porque iria comandar um ministério de Bolsonaro, principal adversário da liderança política que o juiz condenou por duas vezes, Lula.


À frente do Ministério da Justiça percebeu que ninguém estava tão interessado assim em “acabar” com a corrupção, como foi propagado na campanha de 2018, e em abril do ano passado pediu pra sair. Frustração dele e de quem achou que os fins justificavam os meios.

Saiu “rasgando o verbo” e entre as acusações contra o presidente Bolsonaro a de tentar interferir na direção da Polícia Federal, que é subordinada ao ministério que comandava.


Agora, já sem a “força” que o tornou celebridade, por causa de suposta atuação questionada em processos da Lava Jato, revelada em gravações da “Vaza Jato”, Moro volta à política para tentar encontrar o poder que perdeu quando deixou a caneta de juiz, em Curitiba.


No próximo dia 10, então, participa de um ato de filiação ao partido Podemos. A solenidade de ingresso no partido será realizada em Brasília, com transmissão pelas redes sociais.


O convite virtual para o ato de filiação já está sendo distribuído, com uma foto do ex-juiz na frente da bandeira do Brasil e a frase “Juntos, podemos construir um Brasil justo para todos”.


Nas pesquisas, Moro tem aparecido à frente de outros nomes da “terceira via”. O ex-ministro, segundo pesquisa DataPoder, tem de 7% a 8% em simulações.


Ele estava trabalhando como consultor em uma empresa nos Estados Unidos, vínculo que encerrou no final de outubro, entende-se que para se dedicar ao projeto de disputa ao Planalto.


Depois de Rodrigo Pacheco, filiado ao PSD e anunciado candidato à presidência, Moro pode ser o novo fato no cenário político nacional. Se vai ter força de emplacar, só o tempo e articulações dirão. É aguardar.


Jornal da Paraíba

0 comentário

BLOG